6 de out de 2012

Bom esse post quero listar algumas das mudanças e alguns acontecimentos mais recentes:

* Desde fevereiro 2012 não coloquei mais nenhuma gota de refrigerante na boca, pois é uma bebida desnecessária na minha vida, e quando eu tomava muitas vezes substituia no lugar da água, meu record sem tomar refri foi de 3 anos, enquanto fazia facul. Futuramente quando eu estiver Educada em relação a minha alimentação, tomarei sim se der vontade, mas não farei disso um hábito diário;

* Finalmente depois de 8 meses enrolando, resolvi iniciar a academia. Eu tinha uma barreira, medo, sei lá, vergonha. Agora após duas semanas o início notei muita melhora no meu psicológico, condicionamente físico. Detalhe, ainda me sindo meio constrangida no ambiente "academia", mas eu estou enfrentando diariamente;

* Inseri o consumo de pão e arroz integral nas minhas refeições, inclusive granola, e aos poucos estou tentando incluir aveia com linhaça. Pra quem antes só comia pão francês, e arroz parbolizado, é uma grande mudança;

* Desde o começo do ano, decidi que não tenho capacidade para comprar um pote de sorvete de 1 kg e ter na minha geladeira, um dos grandes pecados que cometi em 2011, foram comer vários potes sozinha, talvez por depressão, ansiedade, mas lá no fundo eu sabia que não estava certo, só não conseguia parar de comer, só me sentia bem quando preenchia meu estômago (ou um vazio interno), comendo sorvete.
Então desde então não comprei mais, não deixei de tomar sorvete, só que por enquanto não posso ter na minha casa.

* Chocolate então, sem comentários, em 2010 e 2011 eu comecei a comer praticamente 1 barra daquelas grandes de chocolate por dia. Acordava, comia um pedaço, antes do almoço um pedaço, depois do almoço mais um, ai de tardezinha eu terminava.

(Que horrivel! Eu sei exatamente onde eu adquiri meus 40 kg. Se fizer a conta 2 pães francês no final do tarde (que eu não comia antes), 2 a 3 bolas de sorvete por dia, e mais 1 barra de chocolate, dá um excesso aproximadamente quase 2 mil calorias, isso se não passar, fora o refrigerante. Logo com essas calorias extras, eu aumentava 1 kg na balança a cada 4 dias, mas nesse meio tempo eu dava uma maneirada, então digamos que em 2 anos eu engordei 1,5 a 2 kg por mês em 2 anos! Gente! É muitaaaaa comida! Pura compulsão!)

* Comprei uma balança digital, e olha que nem foi o fator obesidade II que me fez comprar. Eu recebi uma proposta meio que de "sociedade" em uma empresa que umas conhecidas estavam abrindo. Eu seria a nutricionista, e teria meus ganhos 100%, contanto que ajudasse nas despesas. Até ai beleza! Depois começaram as preocupações como: qual roupa usar, quais calçados (salto eu não consigo mais usar faz um tempinho). Enfim, comprei balança, adipômetro, móveis para escritório. Só que ai veio o susto, subi na minha balança e marcou 99kg. Eu queria morrer! Como eu poderia trabalhar ajudando pessoas emagrecerem (que era o propósito da empresa), se nem eu mesma conseguia me manter saudável. Foi ai que eu resolvi, devolver tudo, e fiquei só com a balança. Lógico que tive que trocar por outros itens nas lojas, mas deu tudo certo. O problema foi explicar as minhas colegas porque eu não iria trabalhar com elas, então tive que mentir, disse que não daria tempo, por causa da minha loja e tal. Ai em fevereiro eu comecei pegar firme, meio mole, melhorei a dieta, e tentava caminhar 1 hora todos os dias com meu noivo, mas parecia que meu corpo não queria de jeito nenhum, foi foi que de Fevereiro pra cá, só emagreci 7 kg, até porque nesse meio tempo eu tive que renovar minha carteira, e tinha deixado de me pesar e adivinhemm... já estava com 95, pra quem tava quase com 90 redondo, foi mais um baque. Chorei muito, ai aceitei, e resolvi contornar a situação. Cá estou, tropeçando, caindo, levantando e bola pra frente. "Saúde é o que interessa, o resto não tem pressa!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário